O que é Interlíngua?

Considere as seguintes palavras: abreviação, abdicação, abdução, abjuração, abolição, abominação, aborígene, absoluto, absorção, abstenção, abstração, acácia.

Você as entende perfeitamente, porque elas pertencem à língua portuguesa. Acontece que, com algumas leves alterações na escrita, essas mesmas palavras também existem em inglês, francês, espanhol e italiano. Devido a isso, podemos chamá-las de palavras internacionais.

Tais palavras, baseadas principalmente no latim e na terminologia científica de origem grega, constituem um vocabulário internacional que é o autêntico meio de comunicação entre os falantes dos idiomas ocidentais.

Essa foi a conclusão à qual chegou a IALA, uma associação de linguistas europeus e americanos empenhados na busca de uma língua auxiliar internacional que servisse como lingua-ponte nas relações internacionais.

A serviço desse riquíssimo vocabulário foi posta uma gramática reduzida, espelhada na evolução da linguagem humana, que tende sempre mais à simplificação.

E assim, em 1951, nasceu a Interlíngua, com a publicação das suas duas obras básicas que são: Interlingua—English Dictionary, com 27.000 palavras, e Interlingua Grammar.

Vocabulário

Uma palavra é adotada em Interlíngua desde que ela seja comum a pelo menos 3 das línguas nacionais escolhidas como fonte: português, espanhol, italiano, francês e inglês; alemão e russo podem vir a ser considerados.

A forma da palavra é a forma do protótipo, isto é, a forma que deu origem às diferentes formas das línguas nacionais. Assim, embora a palavra portuguesa olho possa ser bastante diferente do espanhol ojo, do italiano occhio e do francês oeil, todas se originaram de uma forma latina anterior oculo, que sobrevive na composição de palavras internacionais como oculista, ocular, etc. Portanto, olho em Interlíngua é oculo. (Interlíngua não usa sinais de acento gráfico; neste texto vogais tônicas serão sublinhadas para facilitar a leitura.)

Gramática

Eis uns poucos pontos que diferem entre a Interlíngua e o português. Poucos, mas que fazem um diferença enorme no tempo de aprendizado da língua.

Os verbos não têm conjugação por pessoa (io ama, tu ama, ille ama, nos ama, vos ama, illes ama). Os verbos assumem apenas 7 formas diferentes: infinitivo (amar), presente/imperativo (ama), passado (amava), futuro (amara), condicional (amarea), particípio passado (amate), particípio presente (amante). Assim, verbos "difíceis" em português, como vir, ficam facílimos de aprender (venir, veni, veniva, venira, venirea, venite, veniente).

Adjetivos também não se alteram, não importando se o substantivo que ele qualifica está no singular ou no plural (grande casa; grande casas), nem se ele é masculino, feminino ou neutro (sem sexo) (Pedro es belle, Maria es belle, le casa es belle).

Exemplo

Tente entender esta frase por conta própria antes de ler a tradução em português abaixo.

Le 900 milliones de personas qui parla portugese, francese, espaniol, italiano, romaniano, etc. e mesmo le parlantes de anglese comprende un texto technic in Interlingua sin studio previe. Illo tamben es recognoscibile al parlantes de linguas germanic (germano, per exemplo) e slave (como le russo).

Os 900 milhões de pessoas que falam português, francês, espanhol, italiano, romeno, etc. e até mesmo os falantes de inglês compreendem um texto técnico em Interlíngua sem estudo prévio. Ela também é reconhecível aos falantes de línguas germânicas (alemão, por exemplo) e eslavas (como o russo).

Usos práticos

A globalização é uma realidade cada vez mais palpável. Estão aí a ONU, a União Européia, o NAFTA, o MERCOSUL, etc. A comunicação verbal do pensamento esbarra, entretanto, na existência de 2.700 línguas e 8.000 dialetos.

Na União Européia, especificamente, onde cada documento deve ser publicado nas línguas de todos os seus estados-membros, uma parte considerável do orçamento é consumida com serviços de tradução. Problema que tende a aumentar cada vez que um novo país europeu for aceito como participante da União. A eleição de uma língua nacional, como inglês ou francês, como língua oficial não é possível, porque em seus estatutos está prevista a igualdade de direitos entre os estados-membros, e a proteção das línguas minoritárias. A Interlíngua, em sua neutralidade e com a sua internacionalidade, tem o potencial ideal para resolver esse tipo de impasse.

A Interlíngua é de valor intestimável como meio de difusão de informações acadêmicas, tecnológicas, científicas ou comerciais, porque estas áreas se utilizam de muitas palavras internacionais, e que por isso mesmo são incluídas no vocabulário da Interlíngua.

A Interlíngua também tem um potencial promissor como eventual língua do turismo entre Europa e América.

Para os povos do leste europeu, da Ásia e da África, a Interlíngua tem o potencial de servir como uma introdução, um primeiro passo no aprendizado das línguas ocidentais e, consequentemente, da ciência e da tecnologia.

Para os falantes de suas línguas-fonte, a Interlíngua traz outras vantagens. Para nós, falantes de português, por exemplo, serve como uma introdução principalmente ao vocabulário do espanhol, do francês e do italiano, servindo como uma ponte de comunicação com seus falantes quando estes não são capazes de entender português ou inglês. Seu estudo ajuda também a melhorar o domínio de nossa própria lingua materna, e a elevar nosso vocabulário a um nível mais culto.

Aprenda Interlíngua

Entre em contato com a representação pró Interlíngua mais perto de você e amplie o seu raio de comunicação.

UMI (Union Mundial pro Interlingua)
Osmankäämintie 44 C
FIN-01300 Vantaa
FINLANDIA
http://www.interlingua.com/

UBI (União Brasileira pró Interlíngua)
Cond. Morada Nobre, Conj. B, Casa 5
73376-200 Planaltina—DF
(61) 8299-4101
http://www.interlingua.org.br/